20 de junho de 2013

Dor

.
A dor é tão grande que chega a confundir. Começa no coração, vai ao pulmão e sobe para a cabeça; depois volta, ainda mais forte, ao ponto de partida. E nesse ciclo, a cada soluço, a tristeza aumenta.

A vida é feita de pequenos passos, e alguns são tão desprovidos de sentido que não deveriam guiar o futuro.

Fico imaginando o que a pessoa que eu era há alguns anos diria para a que sou hoje. Aquela lá atrás com certeza daria um belo de um esporro! E falaria para ter cuidado: o amor suporta tudo, mas ele não é de ferro e sangra.

1 de junho de 2013

Viagem

.
Esqueci onde estava e fui parar nas nuvens. Flutuando no calor, embora a chuva caísse sem parar e o frio entrasse sem convite pela porta. Sempre me perguntei o que é a beleza, e nunca encontrei melhor definição que esta: é cada cor posta na tela branca da vida. Não tem nada a ver com a coisa estética, essa bobagem de engarrafar um padrão e vendê-lo.

Pus os pés no chão: a razão me puxou de volta. Ouvi o blues da sala, o turbilhão de movimentos, e me lembrei estar no quarto.